Segunda, 15 Junho 2015 00:00

No curto prazo, trocar de técnico é bom negócio até agora no Brasileiro Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Pelo menos no curto prazo, a estratégia de mudar de treinador no Brasileiro-2015, como já fizeram sete clubes, deu certo.

Com exceção do lanterna Joinville, os outros seis times que trocaram de comando tiveram uma melhora no aproveitamento depois da mudança.

 

Com seus treinadores do início da competição, estes sete times disputaram 81 pontos e ganharam apenas 23, o que dá um pífio aproveitamento de 28%. Depois da mudança, foram 66 pontos disputados e 42 ganhos, o que significa uma performance de 64%.

 

O caso mais notório de mudança de resultados aconteceu com o Cruzeiro, que foi muito criticado por demitir Marcelo Oliveira, que levou o clube aos títulos de 2013 e 2014 no Nacional. Com ele, foram quatro rodadas e só um ponto conquistado. Com Vanderlei Luxemburgo, os mineiros jogaram três vezes e ganharam as três.

 

O Grêmio também teve um forte impulso depois de trocar o veterano Luiz Felipe Scolari pelo novato Roger. Com Felipão, o aproveitamento foi de só 17%. Depois da sua saída, o clube gaúcho ganhou 67% dos pontos que disputou.

 

O Flamengo passou de um aproveitamento de 11% com Luxemburgo para 50% sob a batuta de Cristovão Borges. O Fluminense teve uma leve melhora depois de trocar Ricardo Drubscky por Enderson Moreira (50% para 53%).

 

Quando tinha o interino Milton Cruz, o São Paulo teve performance de 67%, e agora ganhou os dois jogos que disputou com o colombiano Juan Carlos Osorio. Em seis jogos com Oswaldo de Oliveira, o Palmeiras ganhou só seis pontos, aproveitamento de 33%. No primeiro jogo sem ele, e com o interino Alberto Valentim, ganhou do Fluminense.

 

 

Fonte: ESPN        Foto: Gazeta Press

Lido 1916 vezes

Pesquise no site

Amigos online

Temos 680 visitantes e Nenhum membro online