Segunda, 15 Junho 2015 00:00

Definir multa contratual é o que falta para Marcelo Oliveira assinar com o Palmeiras Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O Palmeiras ainda não confirma oficialmente, mas Marcelo Oliveira já está acertado com o clube para substituir Oswaldo de Oliveira.

 

No entanto, falta assinar o contrato, e o atraso para firmar o vínculo é devido à multa prevista no documento para o caso de eventual demissão do treinador - o que, no entanto, não deve impedir o desfecho positivo do acordo.

 

Conforme apurou o ESPN.com.br, só falta essa cláusula para que a contratação possa, enfim, ser fechada de vez. O Palmeiras quer que a multa seja de apenas um salário, ou R$ 400 mil, enquanto Marcelo Oliveira quer uma garantia maior, de olho na instabilidade do mercado brasileiro. 

"Assinatura de contrato é o que falta. Temos uma possibilidade, queremos resolver o mais rápido possível e só precisa assinar, pois aí tem a garantia. Negócio se discute várias situações, tempo, lado financeiro, e uma série de situações. Ainda não nos entendemos 100%, senão ele já estava aqui", disse o diretor Alexandre Mattos, no Allianz Parque, sem confirmar o nome de Marcelo Oliveira, com quem trabalho no Cruzeiro.

 

A multa baixa tem sido uma artimanha do Palmeiras para se livrar de "armadilhas" para o caso de ter que demitir seus treinadores. Com apenas um salário de punição, o gasto não seria um prejuízo grande. Oswaldo de Oliveira, por exemplo, vai levar apenas R$ 350 mil.

 

Ainda de acordo com apuração da reportagem, salários e tempo de contrato com Marcelo Oliveira já estão certos. A remuneração será de R$ 400 mil, maior valor pago a um técnico no Palmeiras desde Luiz Felipe Scolari. E já foram acordados também números referentes a premiações.

 

Na última quarta, uma fonte da diretoria alviverde afirmou à reportagem que o acordo estava "97% certo". 

 

Caso conquiste vaga na Libertadores e seja campeão brasileiro, Marcelo teria ganhos médios mensais semelhantes aos que lucrou quando deixou o Cruzeiro, ou acima de R$ 500 mil. Foi com esse argumento que o Palmeiras convenceu o comandante a diminuir a pedida salarial. A expectativa é que uma reunião nesta segunda sele a contratação de forma oficial.

 

A troca constante de técnicos tem sido uma constante na gestão Paulo Nobre desde que o Palmeiras voltou à primeira divisão. Foram demitidos, desde maio de 2014, Gilson Kleina, Ricardo Gareca, Dorival Júnior e Oswaldo de Oliveira.

 

 

 

 

 

Fonte: ESPN      Foto: Google Imagens 

Lido 2279 vezes Última modificação em Segunda, 15 Junho 2015 15:04

Pesquise no site

Amigos online

Temos 367996 visitantes e Nenhum membro online