Terça, 24 Novembro 2015 00:00

No São Paulo, jogadores indesejáveis serão usados como 'moeda de troca' Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O São Paulo aguarda o desfecho da atual temporada para reformular o departamento de futebol. Não será apenas a chegada de um novo técnico e a saída do trio Rogério Ceni, Luis Fabiano e Pato.

O clube pretende também se desfazer de nomes que considera desgastados no atual elenco. Jogadores em fim de contrato têm pouca chance de continuar e alguns que têm contrato longos devem ser emprestados ou utilizados como "moeda de troca".

O presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, confirmou à reportagem a possibilidade de troca e de empréstimo para valorizar atletas que não devem ser aproveitados. Antes, em entrevista coletiva no Morumbi, ele havia dito que não via "comprometimento em todos os jogadores do elenco" e citou a reformulação.

 

Não é apenas a questão técnica que está em pauta. Também há uma preocupação financeira. O São Paulo diz gastar R$ 4,5 milhões com salários, mas outras fontes do clube alegam que o gasto chega quase ao dobro somando gastos com encargos, prêmios etc. 

 

A reportagem apurou com pessoas da direção e próximas aos cartolas e jogadores, que o São Paulo aguardará a definição da última vaga na Copa Libertadores para colocar em prática o plano de reformulação. A ida ao torneio definirá os próximos passos.

 

Se o clube disputar a próxima Libertadores, a diretoria tentará formar um elenco forte e experiente, especialmente na defesa. Hoje, quarto colocado no Campeonato Brasileiro com 56 pontos, o time tricolor seria o último brasileiro a assegurar vaga na competição.

 

Caso não obtenha a vaga, a diretoria irá se concentrar em enxugar o elenco, uma vez que até maio o clube disputará o Campeonato Paulista, que limita as equipes a usarem 28 atletas, e mais duas fases da Copa do Brasil. Hoje, são 31 jogadores no elenco profissional.

 

Entre os nomes que devem deixar o São Paulo estão o goleiro reserva Léo e os zagueiros Edson Silva e Luiz Eduardo, os três com vínculo até o final da atual temporada. Já o lateral direito Bruno tem a continuidade dele avaliada. Aos 30 anos e com contrato até 8 de janeiro de 2016, ele fez uma temporada irregular e não agrada os torcedores.

 

Já a saída dos atacantes Luis Fabiano e Pato, que também têm contratos até o final deste ano, e o goleiro Rogério Ceni, que se aposentará ao final do Campeonato Brasileiro, já foi oficializada pelo presidente tricolor.

 

'MOEDA DE TROCA'

 

Há outro grupo de jogadores com contratos longos, mas que o São Paulo não tem interesse em aproveitar. Por isso devem ser utilizados em negociações com outros clubes. O assunto é mantido em sigilo extremo, pois o clube teme algum impacto no rendimento do time.

 

Um dos casos é o do volante Wesley, 28. Ele tem contrato até 31 de dezembro de 2018 e, ao lado de Ganso, passará a ser o jogador com maior remuneração em 2016 -- supera R$ 400 mil mensais, somando os ganhos em salário e direitos de imagens mais encargos. 

 

Contratado após uma rixa com o Palmeiras, a avaliação hoje no São Paulo é que Wesley não rendeu o esperado, ficando no banco, e não houve identificação com a torcida.

 

EMPRÉSTIMOS

 

Já jogadores jovens como o lateral direito Auro, 19, e o atacante Ewandro, 19, devem ser emprestados para ganhar experiência em outros times.

 

Ewandro já está emprestado ao Atlético-PR, mas retorna ainda neste ano. Ele faz parte de um grupo de 13 jogadores que vão retornar ao São Paulo ao final da temporada.

 

A lista tem os laterais direitos Luis Ricardo, Matheus Caramelo e Lucas Farias, os laterais esquerdos Carleto, Henrique Miranda e Cortez, os zagueiros João Filipe e Luiz Eduardo, o volante Wellington, o meia Maicon e os atacantes Roni e Ademílson.

 

Todos eles têm pouca ou nenhuma chance de ficar no São Paulo na próxima temporada. Alguns têm chance de negociação definitiva, como Wellington (internacional) e Ademílson (Yokohama Marinos, do Japão).

 

NOVO PERFIL

 

Para o elenco de 2016, Leco quer um time mais brigador e por isso busca também um novo líder para substituir Rogério Ceni.

 

Pessoas do clube afirmaram à reportagem que a volta de Lugano está descartada, mas que o clube deseja alguém que cause o mesmo impacto na torcida e que tome à  frente do time.

 

 

 

 

 

 

Fonte: ESPN                      Foto: GAZETA PRESS

 

Lido 1747 vezes

Pesquise no site

Amigos online

Temos 38133 visitantes e Nenhum membro online