Rápidas

Rápidas (58)

O Flamengo voltou a vencer o Limeira no interior paulista. Na noite desta segunda-feira (11/5), a equipe carioca impôs 92 a 73 sobre os mandantes no Ginásio Vô Lucato e fez 2 a 0 no confronto da semifinal do NBB 7. Agora, o time rubro-negro, atual campeão, está a um triunfo de conquistar uma vaga na decisão para disputar seu quarto título do Novo Basquete Brasil.

Na primeiro duelo, disputado também no Ginásio Vô Lucato no último sábado, o Flamengo levou a melhor por 85 a 78 e saiu na frente.

A terceira partida da série melhor de cinco acontece nesta quinta-feira, às 20h30 (de Brasília), no Tijuca Tênis Clube. Dessa vez no Rio de Janeiro, o Rubro-Negro terá a chance de selar sua classificação à final diante de sua torcida.

No jogo desta segunda-feira, os destaques do lado vencedor foram Marquinhos, com 30 pontos, cinco rebotes e cinco assistências e o argentino Nicolás Laprovittola (30 pontos, três rebotes e seis assistências).

Já pela equipe mandante, os principais pontuadores foram Teichmann, com 19 pontos, seis rebotes e uma assistência, Deryk (13 pontos, dois rebotes e duas assistências) e Rafael Mineiro (12 pontos, três rebotes e cinco assistências).

Em boa fase, o argentino Nicolás Laprovittola exaltou a atuação da equipe e pediu ao time rubro-negro que aproveite a sequência para chegar à final. “Fomos bem hoje. A gente está muito focado no objetivo de conquistar o campeonato e precisamos aproveitar nosso bom momento para conseguir isso”, declarou, ao Sportv.

Na outra semifinal, o Mogi das Cruzes venceu o Bauru fora de casa na primeira partida por 81 a 73 e ambas as equipes voltam a se enfrentar nesta terça-feira, novamente no Ginásio Panela de Pressão.

Fonte: Super Esportes

No empate por 1 a 1 com o Mamoré no Mineirão, o Cruzeiro não contou com seu o meia-armador titular, De Arrascaeta, que está com a seleção uruguaia.

 

Um de seus substitutos, Marcos Vinícius, até foi a campo e participou diretamente do gol dos mandantes. Porém, independentemente dissom, o técnico Marcelo Oliveira falou que o time ainda busca um atleta para a posição.

"O Cruzeiro ainda está se esforçando para buscar, mas é difícil. Falamos em vários nomes no começo do ano, mas, ou o jogador estava em outro país, ou não teria condição de sair de seu clube no Brasil", afirmou o treinador após a partida de terça-feira.

 

"Os dois meias para substituir são o Gabriel Xavier e o Marcos Vinícius. De Arrascaeta está fazendo a função por dentro, mas é mais de velocidade com a bola", disse Marcelo Oliveira.

 

Diante do Mamoré, Marcos Vinícius entrou aos 19 minutos da etapa final e fez uma jogada individual que acabou com o gol de Leandro Damião. Já Gabriel Xavier, que se destacou pela Portuguesa em 2014, ficou apenas no banco, no aguardo de sua oportunidade.

 

"Estamos preparando o jogador (Gabriel Xavier), mas ainda não está no ponto para atuar. Estamos aqui como profissionais para colocar o melhor time na hora adequada", declarou.

 

 

 

 

Fonte: ESPN    

Eurico Miranda voltou à presidência do Vasco há menos de quatro meses.

 

Desde o dia 2 de dezembro, data de sua posse, a configuração política do futebol carioca mudou. Houve interferências diretas na relação de clubes com a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) e indiretas do velho cartola até na política interna do arquirrival Flamengo. O Consórcio Maracanã ganhou um desafiador público. O Fluminense, novamente, teve um rival nos bastidores como na década de 90.

 

Na gestão de Roberto Dinamite, o Vasco se posicionava ao lado de Flamengo e Fluminense contra a Ferj e seu presidente, Rubens Lopes. A simples volta de Eurico fez o tabuleiro do futebol carioca balançar. Fiel escudeiro da Federação, Eurico causou um terremoto político ao se agarrar a dois pontos: o lado da torcida vascaína no Maracanã e a cobrança de ingressos mais baratos para o Campeonato Carioca. E atingiu em cheio a dupla Fla-Flu e o Consórcio que gerencia o estádio da final da Copa de 2014.

Rubro-negros e tricolores têm contrato acertado com o Consórcio que gerencia o estádio. A obrigatoriedade de preços mais baixos significaria menos lucro ou prejuízo. Eurico se posicionou ao lado da Ferj e viu a relação dos clubes rivais com a entidade implodir. Trocas de notas oficiais, ameaças de desfiliação, acusações mútuas.

 

De longe, o presidente vascaíno assistiu a tudo. E foi mais incisivo com o Fluminense, ao garantir que não jogaria clássico com o rival se a torcida vascaína não voltasse para o lado direito das cabines de rádio e tv no estádio, como ocorria desde 1950. O Tricolor lembrou de um contrato de exclusividade do setor. O jogo foi realizado no Engenhão, com vitória vascaína.

 

Acuado, o Fluminense respondeu de forma direta, variando entre notas oficiais irônica ou mais agressiva. Agora, a Ferj ameaçou o clube das Laranjeiras de suspensão e cobrou dívida antiga, no valor de R$ 400 mil, não reconhecida pelos tricolores. Em entrevista ao jornal Extra, Peter Siemsen disparou contra Eurico, insinuando que o dirigente poderia estar em busca de vantagem política com a briga sobre o lado do Maracanã. Ex-deputado federal, Eurico, ao seu velho estilo, disparou em nota oficial:

 

"Preciso ressaltar que tenho mais anos de futebol do que ele tem de vida. Não dou o direito a ele de se referir a mim como se estivesse falando com alguém de sua relação".

 

Tiro indireto na política rubro-negra

 

A influência de Eurico Miranda no cenário político carioca não se restringe apenas à Ferj, onde já sentou na cadeira destinada ao presidente, Rubens Lopes, em algumas coletivas de imprensa. Eurico propôs a redução de ingressos e bagunçou o cenário político do Flamengo. Revoltado com a imposição da Ferj e do dirigente vascaíno, apoiada por 12 clubes, o então vice de marketing, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, cobrou atuação mais forte do presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

 

O tom político utilizado pelo presidente rubro-negro e a costura de um acordo para um jogo no Maracanã contra o Barra Mansa mesmo após abandonar uma reunião em fora xingado por Rubens Lopes irritaram Bap. Um dos cabeças do grupo eleito no fim de 2012, o dirigente deixou o Flamengo, rompeu com Bandeira e promete fazer oposição ao mandatário. O cenário azul da eleição rubro-negra, no fim deste ano, tornou-se cinzento. Indiretamente, com influência de Eurico Miranda.

 

No toma lá, dá cá de notas oficias do futebol carioca, até mesmo o moderado presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, eleito em dezembro, entrou na dança. Irritado por ter sua atuação ao lado da Ferj na guerra com Flamengo e Fluminense contestada por Peter Siemsen, o presidente alvinegro também disparou contra mandatário tricolor via nota oficial.

 

Nas correntes políticas de clubes rivais, como Flamengo e Fluminense, muitos viram o retorno de Eurico como um sinal de alerta. Os problemas eram considerados até previsíveis. Mas Eurico deixou o cenário em meados de 2008. Em uma década, a renovação de cartolas no futebol carioca existiu, mas grande parte jamais havia conhecido de perto a personalidade de Eurico. Até mesmo o Consórcio Maracanã o encarou com ressalvas, embora analise que se trate de um adversário que deixa claras suas prioridades.

 

Ao se eleger novamente presidente do Vasco, Eurico Miranda por vezes utilizou o bordão "o respeito voltou", referindo-se à sua atuação à frente do Vasco, combalido após anos temerários de Roberto Dinamite no poder. Mas ao voltar com o respeito para o Vasco, Eurico voltou também ao seu modo, com influência direta no terremoto que assolou o tabuleiro político do futebol carioca no início deste ano.

 

 

 

 

 

Fonte: ESPN       /Foto: Gazeta Press

Vagner Love não foi à rede em nenhuma de suas seis partidas pelo Corinthians, duas delas como titular, mas deixou uma boa impressão em Tite. Crescendo física e tecnicamente, o atacante procurou mostrar serenidade em relação à busca pelo primeiro gol.

"Quero muito fazer, mas estou tranquilo. Acho que vai sair em breve", disse o atleta de 30 anos, que terá novas oportunidades nos próximos dias. Com uma maratona de jogos no Campeonato Paulista, duas equipes totalmente diferentes serão usadas em quatro partidas até o fim do mês.

 

Por enquanto em jejum, Love vem deixando a comissão técnica satisfeita por sua disposição. Visto como esforçado nos treinos, o jogador é elogiado por dar apoio aos companheiros mesmo quando passa os 90 minutos da partida sem sair do banco de reservas.

 

Foi o que aconteceu, por exemplo, na vitória por 2 a 1 sobre o Danubio. De fora, o camisa 29 viu Guerrero - que estava mal até aquele momento - abrir caminho para a vitória. "Queria entrar, claro, mas fiquei muito feliz quando o Guerrero fez o gol e tirou o nosso grito da garganta."

 

Falta Love vibrar com o próprio gol. Quase aconteceu no duelo com o Red Bull, no último domingo. O carioca entrou no intervalo e deu nova força ao Corinthians, errando por pouco dois chutes de pé esquerdo. Ele espera nova oportunidade no domingo, contra o Capivariano.

 

 

 

 

Fonte: ESPN                Foto: Gazeta Press                

Alexandre Pato do São Paulo tem muito mais fome de gol que o do Corinthians. É esta a conclusão que se chega ao se avaliar os números da Footstats referentes ao jogador nestes pouco mais de dois anos de seu retorno ao Brasil.

 

Pelo time tricolor, onde está por empréstimo desde 11 de fevereiro de 2014 e custa R$ 510 mil por mês, o atacante precisa, por exemplo, de 2,5 partidas para mandar a bola para as redes.

No rival alvinegro, que o repatriou do Milan em 3 de janeiro de 2013 por R$ 40,5 milhões e ainda lhe paga R$ 400 mil mensais, ele demorava bem mais: 3,64 partidas, logo, uma diferença acima de 90 minutos - ou um jogo inteiro a mais.

 

No São Paulo, Pato também é mais certeiro: faz um gol a cada 4,77 finalizações, enquanto no Corinthians precisava de 6,88 tentativas para colocar a bola nas redes, ou seja, duas a mais.  

 

Contra o Audax, no último sábado, o jogador de 25 anos chegou a 18 gols em 45 confrontos com a camisa tricolor, uma média, ainda ruim, de 0,4 por jogo; no rival paulista, anotou 17 em 62 partidas, média pífia de 0,27.

Neste início de 2015, Pato tem sido muito mais eficiente, com seis gols em seis partidas, quatro delas como titular, embora haja a ressalva de só ter jogado no Campeonato Paulista e ter passado em branco no único encontro diante de um rival de peso, o empate em 0 a 0 com o Santos, no qual atuou por cerca de meia-hora. 

 

Mas as atuações no estadual convenceram Muricy Ramalho, que vai escalar o atacante desde o início contra o Danubio, do Uruguai, nesta quarta-feira

 

O duelo é considerado de suma importância para a classificação da equipe no grupo 2 da Libertadores da América após a derrota para o Corinthians, na estreia, a qual o jogador não participou por força de contrato - há uma multa de R$ 5 milhões para que atue contra o clube que tem seus direitos. 

 

Para Pato, é a chance de iniciar sua ressureição depois de dois anos de muitas críticas na volta ao país. Será jogo grande, nem tanto pelo rival, mas pela pressão e pela presença em peso da torcida. Se jogar bem, fizer gol e ajudar o São Paulo a sair com o triunfo do Morumbi, tanto torcida quanto imprensa podem começar a vê-lo de forma diferente 

 

E se mantiver contra os uruguaios a fome de gol que tem apresentado até este momento no ano, a tarefa será mais fácil. Nos seis duelos pelo Paulista, finalizou 15 vezes, média de 2,5 por jogo, acertou o gol em oito oportunidades e balançou as redes em seis delas.

 

 

 

Fonte: ESPN                /Foto: ESPN

O Atlético-MG lançou em evento nesta segunda-feira, em Belo Horizonte, os seus novos uniformes para a temporada.

 

A estreia ocorrerá já na quarta, quando o time alvinegro receberá o Atlas no Independência pela segunda rodada da Copa Libertadores.

Apesar de manter seu modelo tradicional, com listras grossas brancas e pretas na vertical, a primeira camisa apresenta mudanças notórias. Afinal, a parte de trás é toda preta, menos nas mangas. Além disso, na gola, a peça ganhou um botão.

 

Já o uniforme reserva também manteve seu padrão: todo em cor branca e com detalhes pretos. O que chama atenção é a gola em formato 'V' e na cor preta, assim como um detalhe na lateral da manga. 

 

O evento desta segunda feira contou com a participação do presidente do Atlético-MG, Daniel Nepomuceno, e o técnico da equipe, Levir Culpi.

 

 

Fonte: ESPN  

O Prêmio Artilheiro do Ano começa 2015 da mesma forma que acabou 2014: com um jogador do Ceará na ponta. E por incrível que pareça, não é o veterano Magno Alves. O dono da primeira colocação da lista até o momento atende pelo nome de Assisinho.

 

Ele marcou no empate por 2 a 2 com o Icasa, no último domingo, pelo Cearense, e chegou aos sete gols na temporada, mesmo número de Robert, do Sampaio Corrêa, que não entrou em campo neste fim de semana. 

Atual campeão da premiação, o atacante Magno Alves passou em branco diante do Icasa, mas está na cola dos líderes com seis gols. Mas se o artilheiro do Vozão decepcionou, Núbio Flávio, do rival, deixou a marca dele no confronto e alcançou o Magnata na terceira colocação. Outro que chegou ao mesmo número de gols foi Alexandre Pato, do São Paulo, que fez dois na goleada tricolor sobre o Audax-SP por 4 a 0, no último sábado, pelo Paulistão.

Logo atrás, Rafhael Lucas, do Coritiba, puxa a fila dos jogadores que balançaram as redes adversários em cinco oportunidades neste ano. O jovem atacante abriu o caminho para a vitória do Coxa por 2 a 0 no clássico diante do Atlético-PR, no domingo, e colocou a equipe na vice-liderança do Campeonato Paranaense. Ele divide a oitava posição com mais cinco atletas, entre eles Magrão, do Mogi Mirim, que fez os dois no triunfo sobre o Rio Claro por 2 a 0, no mesmo dia.

Vale ressaltar que somente competições oficiais envolvendo clubes brasileiros fazem parte da disputa do Prêmio Artilheiro do Ano: a primeira divisão de todos os estaduais do país, as Séries de A a D do Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil, a Copa do Nordeste, a Copa Verde, a Taça Libertadores da América, a Copa Sul-Americana, a Recopa Sul-Americana e o Mundial de Clubes

 

 

 

Fonte: Globo Esporte CE

Afastado desde setembro de 2014, o goleiro Felipe não se reapresentou ao Flamengo nesta segunda-feira, no Ninho do Urubu.

Com contrato válido até o fim de 2015, ele negocia a rescisão do acordo e vai se reapresentar apenas na quinta-feira, dia 8 de janeiro. Com isso, ele fica fora da pré-temporada do clube em Atibaia, no interior de São Paulo. Chateado, o agora ex-camisa 1 cobrou também os atrasos de direitos de imagem.

"Vou me apresentar dia 8 de janeiro, às 10h, conforme orientação que foi passada pelo Flamengo. Desde 2003 será a primeira vez que não participarei de uma pré-temporada. É uma situação chata, mas tenho que aceitar esse posicionamento do clube. Estou triste, mas isso faz parte do futebol. Queria que eles também se posicionassem sobre o que me devem. Sei que não é fácil de se resolver, mas não vou abrir mão do que é meu por direito", disse o goleiro via assessoria de imprensa.

 

A dívida com o jogador chega a pouco mais de R$ 1 milhão. Felipe chegou ao Flamengo em janeiro de 2011, após indicação do técnico Vanderlei Luxemburgo. Na ocasião, ele assinou um contrato de risco, mas com as boas atuações o vínculo foi estendido até o fim de 2015. Titular na maior parte do tempo, o goleiro caiu em desgraça com a diretoria e comissão técnica após faltar um treino em 2014. Diante disso foi afastado e não retornou mais ao time.

 

"Agradeço ao Flamengo por ter jogado 188 jogos e conquistado três títulos pelo meu clube de coração. Agora vou seguir meu caminho sem abaixar a cabeça por nada. Como eles decidiram a parte esportiva, estou no aguardo também da solução da parte financeira. Estou indo para o décimo mês sem receber os direitos de imagem e tenho mais 13 meses de contrato e férias", completou o jogador.

 

 

 

Fonte: ESPN

 

 

O Palmeiras terminou a temporada do seu centenário sem ter conquistado uma vitória no reformado Palestra Itália. Atento à situação, Oswaldo de Oliveira, novo técnico da equipe, espera fazer o elenco se ambientar rapidamente à arena em 2015.

"Dois jogos são muito pouco. O estádio era neutro porque nem a equipe do Palmeiras estava acostumada a jogar ali. Esse amadurecimento vai acontecer com a sequência de jogos. Fatalmente, o estádio acabará nos beneficiando", comentou Oswaldo.

 

Em 2014, o Palmeiras reinaugurou a sua casa com uma derrota por 2 a 0 para o Sport. Na última rodada do Campeonato Brasileiro, só empatou por 1 a 1 com o Atlético-PR e, mesmo assim, garantiu a permanência na primeira divisão.

 

Para Oswaldo, apenas a sequência de jogos como mandante no Campeonato Paulista fará o Palestra Itália se tornar novamente uma arma palmeirense contra os adversários.

 

"É fundamental jogar em casa. Não só pela interferência da torcida, mas para o time de ambientar com o gramado e com tudo o mais. Quando você se familiariza, adquire confiança. Isso acaba se transformando em favoritismo", concluiu Oswaldo de Oliveira.

 

 

 

Fonte: ESPN

Depois de comandar dois treinos fechados durante esta semana, o técnico Vanderlei Luxeburgo desfez qualquer mistério e confirmou o time do Flamengo que vai encarar a Chapecoense, no domingo às 16h, na Arena Condá.

 

Página 3 de 5

Pesquise no site

Amigos online

Temos 245 visitantes e Nenhum membro online