Libertadores da América

Libertadores da América (5)

A reunião que definirá quem ficará com as quatro vagas novas da Libertadores será domingo em Bogotá, mas é possível cravar uma informação: o Brasil já tem o sexto representante. A discussão sobre as demais federações a ganharem vagas é extensa e haverá disputa política. Mas não é viável aumentar quatro representantes do continente sem dar pelo menos mais um lugar para o Brasil.

O diretor de competições da CBF, Manoel Flores, anunciou no final da manhã desta quinta-feira uma decisão importante e correta. A vaga a mais, quando confirmada, será do quinto colocado do Brasileirão. Havia uma discussão sobre a Copa do Brasil ficar com o lugar, mas o correto é a vaga ser do campeonato mais importante do país e isto foi dito pela Confederação Sul-Americana.

Daí que isso muda tudo a partir da rodada deste final de semana do Brasileirão. O Grêmio, oitavo colocado, parecia fora da disputa pela Libertadores e agora está só três pontos atrás do Fluminense, neste momento classificado para o torneio continental. Até o Botafogo e a Chapecoense, cinco pontos abaixo, passam a ter possibilidade, mesmo que remota. A zona da pasmaceira virou zona do agrião, a grande área que decidirá qual o quinto representante do Brasil na Libertadores nova, disputada de fevereiro a novembro, em 2017.

Fonte: Blog do PVC no UOL

O técnico Edgardo Bauza concedeu entrevista nesta terça-feira (5), véspera do primeiro jogo entre São Paulo e Atlético Nacional (COL), pela semifinal da Libertadores, e falou que vê seu time abaixo das condições em que superou o Atlético-MG, pelas quartas de final, há pouco menos de dois meses.

"Eu preferia ter jogado na sequência, é difícil dizer quem perdeu mais. Acho que, pra cada um, p Nacional perdeu alguns jogadores, chegaram outros. Nós tivemos muitas lesões, seis no total, alguns se recuperaram, outros não. Não chegamos na mesma condição que terminamos a última partida da Libertadores", disse.

Bauza não quis confirmar o time que colocará em campo no Morumbi. O São Paulo tem os desfalques de Ganso e Kelvin, machucados, e aguarda recuperações de Mena e Hudson. O treinador, no entanto, não confirmou os desfalques de Ganso e Kelvin para o jogo de volta, na semana que vem, na Colômbia.

"Eles ganharam esses lugares, não é que eu escolhi na sorte. Ganharam as vagas. Tivemos problemas com Hudson, que está se recuperando, Kelvin e Ganso não jogarão nessa primeira partida. Mena se recuperou bastante bem, vamos trabalhar hoje para saber se poderei confirmá-lo. São várias as razões pelas quais tenho dúvidas quanto à formação. O que não tenho dúvida é que qualquer equipe que armemos deixará a vida em campo para classificar", disse.

Bauza também admitiu que o atacante Ytalo deverá começar como titular no Morumbi. João Schmidt e Carlinhos disputam a vaga de Kelvin, com a possibilidade de Thiago Mendes ser deslocado para a meia direita.

"Sim, tem grandes chances [de Ytalo jogar]. Se ele não jogar teria que dar a chance a um atleta muito jovem, sem muita experiência nesses jogos. É uma pena não termos Ganso", falou.

O treinador ressaltou grandes momentos da campanha do São Paulo e disse que o elenco tem personalidade e que a equipe hoje criou uma identidade de jogo."Pura e exclusivamente do nosso trabalho e de uma grande vontade dos atletas. À medida que fomos trabalhando os atletas foram percebendo a importância que têm. Deixamos pelo caminho Atlético-MG e Toluca, fomos a La Paz e fizemos um bom resultado. Houve momentos muitos difíceis e a equipe demonstrou que tem personalidade e uma identidade muito clara", afirmou.

Fonte:folhapress

A primeira vitória do Cruzeiro na Copa Libertadores esteve longe de empolgar Marcelo Oliveira.

 

Após o placar de 2 a 0 sobre o Mineros de Guayana, na Venezuela, que fez o time celeste chegar à liderança do grupo 3, o técnico criticou o desempenho de seus comandados nesta quinta-feira, em duelo pelo fechamento da terceira rodada da chave.

"Nesses dois anos e pouco que estamos aqui no Cruzeiro, foi a nossa pior partida. Nos preparamos muito bem, todo o trabalho da semana foi visando esta partida. Não sei por que, mas não conseguimos marcar, não conseguimos jogar, passamos muito sufoco. Foi um jogo de kamikaze. Poderíamos fazer o gol no contra-ataque, mas poderíamos levar também", declarou à rádio Itatiaia logo após o apito final.

 

"Com o Charles no segundo tempo, marcamos melhor. Às vezes, quando não pode jogar bem, você precisa ganhar. Três pontos são importantes, mas não se concebe uma atuação tão fraca como hoje", disse o treinador.

 

O triunfo fez o Cruzeiro chegar a cinco pontos e assumir a liderança da chave por ter maior saldo de gols do que o Universitário de Sucre. O Huracán vem logo atrás com três pontos, dois a mais do que o lanterna Mineiros.

 

Além da primeira vitória e da primeira colocação do grupo, o duelo ainda foi especial para os celestes por outro motivo: o time finalmente balançou as redes na Libertadores. Até então, eram dois empates por 0 a 0.

 

Agora, o Cruzeiro voltará a campo no domingo, quando visitará o América-MG no Independência, às 18h30 (de Brasília). Pela Libertadores, o time irá a campo em 8 de abril (quarta-feira), às 21h, para encarar o Mineros de Guayana novamente, só que no Mineirão.

 

 

 

 

 

Fonte: ESPN                 Fonte: Getty 

O início de temporada do Atlético-MG não tem sido o esperado pela torcida alvinegra, que vê o time perdendo rendimento e somando duas derrotas seguidas.

 

Para dar a volta por cima, a equipe alvinegra vai buscar a reabilitação na Libertadores em jogo contra os mexicanos do Atlas, que será realizado nesta quarta-feira, às 19h45 (de Brasília), no Independência.

Na estreia na competição continental, o Atlético-MG perdeu para o Colo-Colo e novo revés pode complicar a vida dos mineiros na caminhada rumo ao bicampeonato da Libertadores. Entre os jogadores, é unanimidade que o time caiu de produção, mas o zagueiro capitão da equipe Leonardo Silva, fala que o clube dará a volta por cima começando do jogo desta quarta.

 

"Dois tropeços fazem com que repensemos algumas coisas, mas vamos trabalhar para dar a volta por cima e vencer na quarta-feira que tudo muda. O Atlas é um time de muita qualidade, que também perdeu na primeira rodada e precisa vencer. Eles têm a mesma qualidade das outras equipes mexicanas, e precisamos ter atenção para controlar a equipe do Atlas e fazer um grande jogo para sair com a vitória", disse.

Para encarar os mexicanos, o técnico Levir Culpi segue com problemas nas laterais. Marcos Rocha, na direita, e Douglas Santos, na esquerda, seguem vetados pelo departamento médico. No ataque, o argentino Lucas Prato também está machucado, lesão que tem tirado o sono do treinador, que não tem substituto para o atleta.

 

Nas alas, Patric e Pedro Botelho seguem atuando, mas, no ataque, o problema é maior já que Jô não marca gols há quase um ano e também está fora do jogo desta quarta por motivo de lesão. As opções ficam entre Carlos, que não é um atacante de área, e André, que assim como Jô vive um momento muito ruim na carreira.

 

Se o Atlético-MG precisa vencer a partida a qualquer custo, o mesmo se pode dizer dos mexicanos do Atlas, que estrearam na Libertadores com derrota para o Santa Fé, em casa. A equipe mexicana aposta na experiência e na rodagem de vários jogadores estrangeiros para tentar surpreender os brasileiros no Horto.

O Atlas conta, inclusive, com um brasileiro, que é pouco conhecido aqui no Brasil, mas tem agradado no time do México. Trata-se do atacante Keno, que já jogou pelo Santa Cruz e tem passado informações do Atlético-MG para os companheiros de equipe. O jogador admite que os dois times vão entrar campo pressionados pelas derrotas nas estreias.

 

"É uma pressão muito grande, ambos vêm de derrota. Mas eles estão jogando em casa, e têm muito mais pressão por isso do que nós. Temos que saber que o time deles é muito bom. Sabemos que jogar no Horto é muito complicado. Mas estamos com a cabeça tranquila, sabemos que precisamos do resultado. Vou tentar ajudar o treinador com alguma coisa sobre o time, que eu sei que é muito bom na bola aérea e no contra-ataque", declarou.

 

 

 

 

Fonte: ESPN

O Barcelona consagrou nos últimos anos o chamado ‘tiki-taka', abusando da troca de passes para envolver os rivais e ganhar todos os títulos possíveis. O estilo evoluiu, passou pela seleção espanhola, pelo Bayern de Munique e chegou até a Alemanha campeã do mundo.

Pesquise no site

Amigos online

Temos 121398 visitantes e Nenhum membro online