Salgueiro e Ceará fizeram o primeiro jogo entre as equipes pelas quartas de final da Copa do Nordeste, nesta quarta-feira (25), no Cornélio de Barros. Com campanhas semelhantes na primeira fase da competição, o Carcará e o Vovô se classificaram em primeiro lugar pelos grupos C e D, respectivamente.

Mas, enquanto o time pernambucano esperava continuar fazendo história na competição, o time cearense buscava mais uma semifinal. Com mais organização e jogadas ofensivas, o Ceará venceu o Salgueiro por 2 a 0 fora de casa. Com o resultado, a equipe visitante garantiu vantagem para o jogo de volta. 

Jogando em casa, com as arquibancadas cheias, o Salgueiro entrou em campo segurando o Ceará e tentando jogadas de contra-ataque. Mas com desfalques importantes, a equipe não conseguiu criar boas oportunidades. Tranquilo e sem a pressão da torcida, o Ceará aproveitou os espaços e garantiu a vitória. O público da partida foi de 8.089 pessoas. 

As equipes se encontram novamente no sábado (28), a partir das 18h30, no Castelão. Para se classificar, o Ceará pode empatar e até perder por até um gol de diferença. Para o Salgueiro continuar na competição, a única alternativa é vencer com folga.

O JOGO

Com cinco minutos de jogo, o Salgueiro já teve indícios de que a partida não seria fácil. O artilheiro da equipe, Anderson Lessa acabou deixando o campo machucado. Cicinho, que o substituiu não conseguiu se encontrar em campo, tanto que no final acabou sendo substituído por Julio Estevão. Se no ataque a situação estava complicada, na defesa o Carcará bem que tentou segurar o Vovô, mas  aos 25 minutos, Fernandinho sem marcação mandou uma bomba da entrada da área e abriu o placar.

No segundo tempo, o Ceará continuou dominando a partida e levando seguidas jogadas de perigo ao gol de Luciano. Em uma das investidas, Samuel Xavier tentou cruzamento e Ricardinho aproveitou para marcar um golaço, aos 15 minutos. Depois disso, a equipe continuou pressionando e   buscando ampliar a vantagem. Mas o jogo acabou mesmo em 2 para o Ceará e 0 para o Salgueiro.

 

 

 

 

 

Fonte: ESPN                           /Foto: Google Imagens 

Para Corrêa, o Fortaleza fez uma grande partida. E, de fato, fez. Com domínio em boa parte da partida desta quarta-feira (25), na Arena Castelão, o Tricolor do Pici mostrou que pode garantir vaga nas semifinais da Copa do Nordeste.

 

- Fomos bem em campo. Jogamos do jeito que gostamos e impomos nosso ritmo em campo. O Sport é um adversário bem difícil. Por isso, jogar como jogamos e conseguir a vitória mostra que estamos em uma boa fase - analisou.

Após terminar em segundo lugar no Grupo D, atrás apenas do Ceará, o Fortaleza poderia ter marcado mais gols. Exemplo disso foi o pênalti perdido por Lúcio Maranhão no segundo tempo.

- O Lúcio Maranhão é grande jogador. Perder um pênalti é do jogo. Mas temos que pensar em repetir esse jogo de hoje em Recife, no próximo domingo. Não poderemos desperdiçar novas chances de fazer gol - frisou.

Aliás, é disso que Corrêa mais se preocupou em comentar. Para ele, o Fortaleza tem que se empenhar em reforçar a defesa e se manter ativo no ataque. Tudo, claro, com bastante atenção.

- Para conseguir a classificação, temos que manter o padrão de jogo de hoje (nesta quarta-feira, no Castelão) e tentar marcar. O Sport virá pra cima e terá o apoio da torcida em casa, que é muito forte - finalizou.

O Fortaleza joga com o Sport, fora de casa, na volta das quartas de final da Copa do Nordeste, às 16 horas, na Ilha do Retiro, em Recife.

 

 

 

 

Fonte: ESPN                  /Foto: Bruno Gomes/Agência Diário

O São Paulo foi simplesmente atropelado pelo Palmeiras nesta quarta-feira.

 

A derrota por 3 a 0 gerou revolta na diretoria e em conselheiros, e por isso o clube entra em seu momento mais conturbado na atual temporada. A promessa é de turbulência, ainda mais porque o técnico Muricy Ramalho começa a balançar no cargo cada vez mais.

 

Ao deixar o Allianz Parque, o vice Ataíde Guerreiro estava furioso. "Não tem cabimento", esbravejou o cartola aos repórteres, pedindo para não dar entrevistas.

"Não tem cabimento o time jogar como jogou novamente. Estou muito irritado, não é hora de declaração. Vou ver o que vou fazer, mas vou cobrar comissão técnica, vou cobrar elenco, vou cobrar todo mundo", continuou o dirigente.

 

O sentimento de Ataíde foi compartilhado por diversos membros do conselho e da diretoria tricolor. O presidente Carlos Miguel Aidar, por exemplo, deixou o estádio a 10 minutos do fim do duelo e, segundo relatos, também estava bem nervoso.

 

O celular não parou entre os conselheiros tricolores na noite desta quarta. Conforme foi dito à reportagem, opositores e situacionistas trocaram várias mensagens pelo aplicativo Whatsapp, algumas inclusive cobrando atitudes do presidente.

 

A insatisfação com Muricy Ramalho é evidente. E, nesta quarta, o clássico esboçou que o elenco também está contrariado com o treinador. Michel Bastos, Ganso e Pato entraram em rota de colisão com o treinador em momentos distintos da partida.

 

A Independente, principal organizada tricolor, é outra que promete tumultuar. Via Twitter, a torcida prometeu ir ao CT no sábado protestar. Prometeu acabar com os "laranjas podres" e pediu as saídas de Muricy e Ataíde e criticaram Aidar e Milton Cruz.

 

Em 2015, o São Paulo perdeu três e empatou um de quatro clássicos. Pior que isso: não fez gol em nenhum. Mas, na Libertadores, por enquanto está na zona de classificação. Só que uma derrota para o San Lorenzo na semana que vem, na Argentina, pode mudar tudo de figura.

 

Até antes do clássico, Aidar jurava a conselheiros que Muricy cairia só se o São Paulo não se classificasse na Libertadores. Agora, após a atuação péssima contra o Palmeiras, o presidente está sob pressão, assim como o técnico. Portanto, a quinta-feira deve ser longa no Morumbi.

 

 

 

 

 

Fonte: ESPN                             /Foto: Gazeta Press

O clima está tenso entre a ex-parceira do Fluminense, Unimed-Rio, e alguns jogadores. Fred não recebe um tostão da cooperativa desde antes da Copa do Mundo.

 

Atualmente, a dívida com o atacante já ultrapassa R$ 12 milhões. Não há perspectiva para pagá-lo no curto prazo. Walter é outro que não recebe há seis meses. Nesta quarta-feira, a Agência Nacional de Saúde (ANS) nomeou um diretor para "acompanhar" a situação financeira da cooperativa.

Gilberto Gomes vai exercer a função de "diretor fiscal". Agência e Unimed dizem que não se trata de intervenção. Em nota, a ANS explica que a medida foi tomada em caráter especial e que o diretor terá a função de "acompanhar, avaliar e orientar" a situação financeira da operadora, mas que a decisão sobre os pagamentos é de responsabilidade da cooperativa.

 

O fato é que entre fornecedores, credores, hospitais, suprimentos para cirurgias e outras atividades médicas, a cooperativa terá de retardar os pagamentos aos jogadores. Não é a prioridade médica, razão de existir da operadora de plano de saúde.

 

'Caso Fred' em negociação

 

Sobre os atrasados dos jogadores, o superintendente de Marketing da Unimed-Rio, Luiz Perez, disse que "as situações estão sendo resolvidas de acordo com a previsão contratual de cada um. O caso Fred está em negociação. Enquanto não forem acertadas as bases, os pagamentos estão suspensos. A maioria dos contratos já foi rescindida".

 

Entre os jogadores que realmente receberam da cooperativa estão Conca, que deixou o clube, e Diego Cavalieri, que renovou com o Fluminense e foi quitado pela empresa.

 

Celso Barros, como já publicado pelo ESPN.com.br. é o presidente da cooperativa até 2018. Mas desde o final do ano passado, existe um novo executivo no comando, o médico Augusto Luiz de Almeida Cardoso por quem tem passado as principais decisões administrativas-financeiras da empresa.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: ESPN                                       /Foto: Getty

O Grêmio está classificado para a fase de mata-mata do Campeonato Gaúcho.

 

A equipe venceu o Novo Hamburgo, fora de casa, por 1 a 0 e continua na liderança da competição. Apesar da tabela mostrar o time tricolor à frente dos demais clubes, o técnico Luiz Felipe Scolari prefere pensar de outro jeito.

"O Grêmio não é líder no geral, não. Quem tem 25 pontos, como o Inter, com um jogo a menos, pode ser (o líder). Estamos com um ponto a mais, mas um jogo a mais. Hoje, não podemos nos considerar líder, não, mas podemos nos considerar 95% classificados entre os quatro primeiros", afirmou o treinador.

 

O jogo que Felipão se refere é entre Internacional e Ypiranga, duelo atrasado da 6ª rodada, que acontecerá na próxima quarta-feira.

 

O Grêmio chegou a cinco jogos seguidos com vitórias, mas não perde há oito patridas no Gaúcho. O técnico acredita que o 1 a 0 contra o Novo Hamburgo foi melhor do que o triunfo da última rodada, contra o Lajeadense, por 2 a 0.

 

"A vitória do Grêmio foi melhor do que a de domingo. Enfrentamos uma equipe muito boa, muito bem arrumada. Esse Gauchão mostra uma nova tendência. Parece que as equipes do interior escolheram a dedo seus jogadores. A equipe do Novo Hamburgo tem jogadores experientes e com boa qualidade técnica. Fizemos um primeiro e segundo tempos equilibrado", explicou.

 

 

 

 

Fonte: ESPN                /Foto: Divulgação

No empate por 1 a 1 com o Mamoré no Mineirão, o Cruzeiro não contou com seu o meia-armador titular, De Arrascaeta, que está com a seleção uruguaia.

 

Um de seus substitutos, Marcos Vinícius, até foi a campo e participou diretamente do gol dos mandantes. Porém, independentemente dissom, o técnico Marcelo Oliveira falou que o time ainda busca um atleta para a posição.

"O Cruzeiro ainda está se esforçando para buscar, mas é difícil. Falamos em vários nomes no começo do ano, mas, ou o jogador estava em outro país, ou não teria condição de sair de seu clube no Brasil", afirmou o treinador após a partida de terça-feira.

 

"Os dois meias para substituir são o Gabriel Xavier e o Marcos Vinícius. De Arrascaeta está fazendo a função por dentro, mas é mais de velocidade com a bola", disse Marcelo Oliveira.

 

Diante do Mamoré, Marcos Vinícius entrou aos 19 minutos da etapa final e fez uma jogada individual que acabou com o gol de Leandro Damião. Já Gabriel Xavier, que se destacou pela Portuguesa em 2014, ficou apenas no banco, no aguardo de sua oportunidade.

 

"Estamos preparando o jogador (Gabriel Xavier), mas ainda não está no ponto para atuar. Estamos aqui como profissionais para colocar o melhor time na hora adequada", declarou.

 

 

 

 

Fonte: ESPN    

Presidente eleito no último mês de fevereiro, Roberto de Andrade assumiu o Corinthians em complicada situação financeira e vem tentando, aos poucos, recolocar o clube em posição econômica mais cômoda.

 

Uma das providências foi telefonar para o atacante Alexandre Pato, emprestado ao São Paulo, e pedir paciência quanto aos direitos de imagem atrasados.

 

Conforme apurou o ESPN.com.br, assim que assumiu o cargo, o dirigente pegou o telefone e ligou para o jogador para conversar a respeito dos valores devidos, que completam sete meses em março, de acordo com informações vindas de dentro da própria agremiação. No total, são cerca de R$ 2,8 milhões de dívida.

Roberto explicou ao jogador o péssimo momento financeiro do Corinthians e avisou que vai tentar resolver o quanto antes a questão, tranquilizando Pato, que tem contrato com o clube até o fim de 2016. O presidente fez o mesmo com os representantes do jogador: telefonou e explicou que está tentando contornar a situação.

 

Alexandre Pato está emprestado ao São Paulo desde o começo de 2014, quando foi envolvido em uma troca com Jadson. Com contrato até o fim de 2015 no clube tricolor, o jogador vem tentando embalar no Morumbi para se valorizar, voltar à seleção brasileira e ao futebol europeu.

 

Com salário de R$ 800 mil, sendo R$ 300 mil na carteira de trabalho e R$ 500 mil em direitos de imagem, o jogador tem metade de seus vencimentos, R$ 400 mil, pagos pelo São Paulo - q também arca com os encargos trabalhistas da CLT, mais R$ 82,500 -, enquanto o Corinthians banca a outra metade - R$ 400 mil.

 

O time do Parque São Jorge arca com o valor apenas em direitos de imagem, mas vem atrasando os vencimentos do atacante e outros atletas do elenco devido à situação financeira delicada.

 

A prioridade é quitar os cerca de R$ 13 milhões em dívidas com a equipe e o técnico Tite, entre imagem e prêmios, além de aproximadamente R$ 12 milhões de dívidas com empresários, e só depois resolver a situação com Pato.

 

 

 

Fonte: ESPN         /Foto: Getty

O ditado popular "é errando que se aprende" não parece ser muito conhecido no futebol carioca. Um dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, o Fluminense segue repetindo a mesma receita de fracasso.

 

A demissão de Cristóvão Borges foi a sétima vez nos últimos dez anos em que o técnico que começou seu trabalho nas Laranjeiras no início do ano caiu ainda no Campeonato Carioca. Desde então, a equipe acumula apenas um título estadual.

Não por acaso, quando manteve o treinador durante o Cariocão e também por todo o Campeonato Brasileiro, o Tricolor faturou os dois títulos, em 2012, quando a equipe era comandada por Abel Braga.

 

As outras exceções aconteceram em anos seguintes a conquistas nacionais. Se em 2013 o mesmo Abel ainda colhia os frutos do tetracampeonato, em 2008, Renato Gaúcho resistiu desde o título da Copa do Brasil até o meio do Brasileirão, após a histórica campanha na Libertadores, quando o Flu foi derrotado nos pênaltis na final contra a LDU.

Em apenas uma das sete vezes em que mudou seu treinador, o Fluminense obteve êxito e conquistou títulos na temporada. Em 2010, Cuca caiu após eliminação na Taça Rio, dando lugar a Muricy Ramalho, que levou o clube ao tricampeonato brasileiro naquele ano. Neste ano, também curiosamente, o Flu mudou de treinador só uma vez, fato que se repetiu apenas no ano passado. 

 

Muricy Ramalho, inclusive, foi o único dos sete a pedir demissão. Sua saída, entretanto, já estava praticamente anunciada pelos maus resultados e discordâncias do treinador com a então nova diretoria. Mudanças nos bastidores e principalmente nos poderes que o técnico possuía foram fundamentais, bem como a má campanha na Libertadores e no Carioca. Caso não pedisse demissão, Muricy certamente seria demitido alguns jogos depois.

Os outros grandes cariocas, entretanto, não ficam muito atrás. Em nenhum dos dez últimos anos os quatro clubes mantiveram seus treinadores até o fim do Estadual. O Fluminense, com a demissão de Cristóvão, é o mais "apressadinho". Foi o primeiro dos quatro grandes a demitir o treinador por cinco oportunidades no espaço de tempo referido.

 

 

 

 

 

Fonte: ESPN     /Foto: Google Imagens 

O veterano meia Souza, 36 anos, ex-jogador de São Paulo, Fluminense e Cruzeiro, venceu na última sexta-feira um processo trabalhista contra o Grêmio e vai levar pouco mais de R$ 1 milhão em direitos de arena.

 

Representado pelo advogado João Henrique Chiminazzo, que já trabalhou para o Bom Senso, o atleta reinvidicava diferenças de direito de arena - o 'cachê' que os jogadores recebem por aparecerem na TV (e que não se confunde com os salários e prêmios que recebem) - pelo período que atuou no time de Porto Alegre.

Souza conquistou a vitória em última instância no TST, em Brasília, o que indica que não cabe mais recurso ao departamento jurídico gremista.

 

Curiosamente, o atleta tinha dois contratos com o Grêmio, já que no começo atuou emprestado pelo PSG (FRA) e depois foi comprado em definitivo, mas seus advogados conseguiram provar que os dois documentos representavam um vínculo só.

 

Souza atualmente defende o Passo Fundo e atuou no Grêmio entre 2008 e 2010. Foi campeão gaúcho em seu último ano atuando com a camisa tricolor gaúcha.

 

Ao longo da carreira, o clube em que teve mais destaque foi o São Paulo, onde venceu Campeonato Paulista, Copa Libertadores e Mundial, em 2005, e dois Brasileiros, em 2006 e 2007. Pelo Flu, ainda foi novamente campeão nacional, em 2012.

 

O meia também passou por Botafogo, Libertad (PAR), Guarani, CSA, Portuguesa Santista, Ceará e Passo Fundo.

 

 

 

 

Fonte: ESPN                       /Foto: DIEGO GARCIA/ESPN.COM.BR

Pesquise no site

Amigos online

Temos 226260 visitantes e Nenhum membro online